RedeGN - Sempre ligado.

Foram encontrados 118 registros para a palavra: tragedia

Laudo aponta morte de Marília Mendonça por politraumatismo

A Polícia Civil constatou que a cantora Marília Mendonça morreu de politraumatismo contuso durante queda do avião, que matou também outras quatro pessoas no dia 5 de novembro, diz o laudo apresentado nesta quinta-feira (25).

Morte por politraumatismo, como a de Marília Mendonça, é constatada em casos em que o óbito é causado por mais de uma lesão com impacto fatal...

Tragédia: Ciclista atropelada na Avenida Mosenhor Angelo é identificada

Uma mulher morreu após a bicicleta dela ser atingida por uma carro, na manhã desta segunda-feira (11), na Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio, em Petrolina, Pernambuco. O acidente aconteceu próximo ao shopping. Após a colisão, a vítima, identificada como Edite Araújo Ribeiro, de 59 anos, ficou com parte do corpo dentro do carro.

Os policiais tiveram acesso as câmeras de segurança de um posto de gasolina que fica aqui perto do local do acidente. Eles contaram que as imagens mostram que a mulher atravessou avenida montada na bicicleta, e que na faixa que fica próximo ao canteiro central foi surpreendida pelo carro...

Tragédia: Ciclista é atropelada na Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio em Petrolina

Uma ciclista ainda não identificada foi atropelada e morreu na Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio, em Petrolina, nas imediações do River Shopping. Após a colisão, a vítima ficou com parte do corpo dentro do carro. Com o impacto o corpo destruiu o para-brisas do carro, um gol branco.

De acordo com informações, o carro do SAMU foi acionado e demorou a chegar no local. "E quando chegou veio sem médico." Vários populares ligaram para a Rádio Jornal relatando a "aflição da cena"...

TRAGÉDIA: Dois idosos morrem após incêndio no Pedro Raimundo em Petrolina


Dois idosos morreram ontem domingo (19), após um incêndio residencial, no bairro Pedro Raimundo em Petrolina, Pernambucano. De acordo com a Polícia Civil, as vítimas foram Maria de Lourdes Nunes da Cruz, de 90 anos e seu filho, Alvino Nunes da Cruz, 67 anos. Eles chegaram a ser socorridos, mas não resistiram.

Em nota, a polícia informou que segundo testemunhas, o incêndio começou após a explosão de um botijão de gás. O caso será investigado...

Ensino remoto na pandemia: alunos ainda sem internet ou celular mostram a tragédia da educação 

Desde 15 de março Material didático impresso, o Canal TV Educa Bahia, com transmissão específica para os estudantes, com aulas remotas e outros vídeos, além de encontros virtuais.

Apesar de todos os esforços, afinal, a Secretaria da Educação desenvolveu diversos recursos educacionais para a volta às aulas de forma inteiramente remota, a falta de recursos da maioria dos alunos põe os resultados em xeque. ..

Após dois anos da tragédia, Prefeitura de Brumadinho vive boa situação econômica, mas teme futuro

Passados dois anos do rompimento da barragem da Vale, Brumadinho (MG) experimenta uma situação econômica confortável. Na análise da prefeitura, três fatores contribuem para esse cenário: um acordo feito com a Vale para compensar a queda de arrecadação, os auxílios emergenciais pagos pela mineradora à população e a chegada de empresas para as ações de reparação.

No entanto, todos esses incrementos na economia do município são temporários. Por esta razão, há uma preocupação com o futuro, pois dificilmente a Vale retomará o patamar de produção que tinha anteriormente na cidade...

Brumadinho: tragédia faz 2 anos e insegurança ainda ameaça a bacia do Rio São Francisco

No dia 25 de janeiro de 2019, a vida na cidade de Brumadinho, a cerca de 35 quilômetros de Belo Horizonte, mudou completamente. A barragem de rejeitos de minério de ferro da mina Córrego do Feijão se rompeu, causando 259 mortes, deixando 11 desaparecidos e um rastro de degradação ambiental e social.

Os rejeitos foram para o rio Paraopeba, importante afluente do São Francisco, e destruíram plantações, casas e vidas. A lama seguiu o curso do Paraopeba, inviabilizando quem dependia desse rio para irrigação das plantações e, também, impedindo o abastecimento de populações que captavam a água deste curso d’água...

Tragédia em Sobradinho (BA): Vereador perde mãe e irmão no mesmo dia para Covid-19

Depois da alegria de ter sido empossado durante solenidade na sexta-feira (01) a família do vereador Geovan Santos de Souza do Partido dos Trabalhadores foi vítima de uma tragédia no final de semana.

A dor e a tristeza invadiram os sentimentos familiares com a notícia de que a mãe Dona Isabel Santos de Souza e o filho José Santos de Souza popular Dedé acabaram falecendo no mesmo dia vitimados pela Covid-19...

ONU cobra responsabilidade do governo brasileiro em relação à tragédia-crime de Brumadinho

Durante a 45º Sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que está acontecendo a  Relatoria Especial responsável pelos temas de resíduos tóxicos e direitos humanos apresentará o informe sobre sua visita ao Brasil.

O relator, Baskut Tunkat, esteve na Aldeia Indígena Naô Xohã, em São Joaquim de Bicas (MG), e conversou com lideranças de várias comunidades de Brumadinho em atividade realizada no Parque da Cachoeira, em dezembro de 2019...

Familiares e pacientes psiquiátricos relatam que remédio para tratar esquizofrenia está em falta: 'Prenúncio de tragédia'

Familiares e pacientes que precisam de tratamento psiquiátrico na rede pública da Bahia relatam que o medicamento Olanzapina, usado no tratamento da esquizofrenia, está em falta. Segundo eles, a farmácia do Hospital Mário Leal, referência em saúde mental em Salvador, não possui o remédio há dois meses.

A Olanzapina é um remédio de alto custo, com preço da caixa variando entre R$ 250 e R$ 300. Alguns pacientes precisam de até três caixas por mês...

Privatizar a Caixa é uma tragédia para a economia e a população, diz representação de servidores da CEF

No dia 7 de agosto, Bolsonaro assinou a MP 995 que permite a venda de subsidiárias da Caixa Econômica Federal (CEF). Questionada pelo TCU, a MP já recebeu mais de 400 emendas e tem como objetivo o fatiamento do banco público que mais oferta crédito à população.

Em tese tal projeto deveria passar pelo crivo legislativo, mas, em mais uma interpretação das leis a favor do interesse capitalista, o STF liberou essa mal disfarçada modalidade de privatização. ..

Tragédia: Incêndio no Ninho do Urubu faz um ano; CPI ouve familiares de vítimas

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Incêndios na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) deve ouvir nesta sexta-feira (7) familiares das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu, centro de treinamento do Flamengo, e representantes das diretorias atual e anterior do time. A sessão ocorrerá às 11h, no Palácio Tiradentes.

A tragédia, que deixou 10 adolescentes mortos e três feridos, completa um ano amanhã (8) e pode ter novos desdobramentos judiciais a partir deste mês, com novas ações sendo apresentadas pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), a Defensoria Pública e a defesa das famílias das vítimas...

Artigo – Das Pragas da antiguidade às tragédias atuais

São tantas as tragédias registradas nos últimos tempos, marcadas por um rastro de destruição de áreas florestais e urbanas das cidades, o que tem provocado intensa dor, tristeza e morte a milhares de pessoas que, de repente, muitas perguntas e indagações são produzidas na busca de uma explicação para uma nova realidade que está sendo escrita. É vasto o universo de questionamentos quanto às suas causas, que tanto podem estar vinculadas a atitudes e intervenções inconsequentes do próprio ser humano, como a uma fúria da natureza que foge à capacidade de entendimento das pessoas comuns! Naturalmente que espiritualistas devem estar direcionando seus estudos e reflexões para encontrar explicações comparativas em episódios análogos dos tempos bíblicos, em que pragas e outros tipos de destruição atingiam os povos como uma forma de punição ou mesmo como uma condenação Divina pela desobediência dos povos de então.

Alguns lembrarão que após o Dilúvio que destruiu quase totalidade dos seres viventes nos primórdios dos tempos bíblicos, Deus firmou com Noé um novo pacto: “Estabeleço a minha aliança convosco: não será mais destruída toda carne por águas do dilúvio, nem mais haverá dilúvio para destruir a terra. [...] Porei nas nuvens o meu arco; será por sinal da aliança entre mim e a terra”. (Gênesis 9:11 e 13). Ainda que os céticos insistam em não aceitar esse fato bíblico, o Arco-Íris nas nuvens durante cada tempestade parece repassar a convicção de ser uma forma de autenticar a assinatura Divina e lembrar ao homem que a Aliança permanece indelével. Ou seja, que a Palavra do Criador está sendo cumprida. E quanto mais dúvidas tiverem, mais Ele vai provar que a Natureza merece respeito!..

Um ano depois: Tragédia de Brumadinho matou 206 homens e deixou legião de viúvas, uma delas vive em Petrolina

A tragédia da Barragem de Brumadinho completa um ano no próximo sábado, dia 25. Dos 270 mortos da tragédia já identificados, 206 são homens que deixaram uma legião de viúvas. Uma destas vitimas diretas do "crime ambiental ocorrido em Brumadinho) atinge a família de uma Petrolinense. Ela é umas das viúvas.

Mas a avalanche de lama e rejeitos de mais de 10 milhões de metros cúbicos (m3) que resultou na morte de 270 pessoas, sendo 11 desaparecidas, acrescentou à realidade da população atingida.´Se pensarmos nas mães e irmas a tragédia desenha-se essencialmente feminina. No grupo de watSapp a maioria participa das conversas para saber como requerer os direitos à Vale e à Justiça...

Dono de carro gol ano 1985 toca fogo no veículo e corpo de bombeiros evita mais uma tragédia

Informações que chegam a redação dão conta de que o Corpo de Bombeiros de Juazeiro (BA) atendeu mais um chamado para apagar incêndio. Desta vez um carro. De acordo com informações por volta do meio dia na Rua das Flores VII, Bairro Malhada da Areia, Juazeiro, Bahia, um carro de marca gol ano 1985 foi incendiado pelo próprio dono. As razões não foram divulgadas. ..

Um ano após Brumadinho, Vale recupera valor que tinha antes da tragédia

Cerca de um ano após a tragédia em Brumadinho, a Vale recuperou o valor de mercado que tinha antes do rompimento da barragem em Minas Gerais, em 25 de janeiro de 2019. Com dados econômicos positivos da China, seu principal importador, as ações da mineradora registraram alta de 3,3% nesta sexta-feira (14) e chegaram a R$ 57, valor acima dos R$ 56,15 registrados no pregão anterior à tragédia em Brumadinho.

Com a valorização neste pregão, o valor de mercado da companhia foi a R$ 301 bilhões, R$ 5 bilhões a mais do registrado pré-Brumadinho. Logo após o rompimento da barragem de rejeitos na mina do Córrego do Feijão em Minas Gerais, os papéis da mineradora foram a R$ 42,38, queda de 24,5% no pregão e uma perda de R$ 72 bilhões em valor de mercado em um único dia.

O número oficial de mortos da tragédia é de 255 e 15 pessoas ainda são dadas como desaparecidas. A valorização da Vale é fruto do otimismo do mercado com a empresa e com o setor. A China, maior importador do minério de ferro brasileiro, assinou na quarta (15) a fase 1 do acordo comercial com os Estados Unidos, o que deve acelerar sua economia e aumentar a importação de minério de ferro da Vale.

O preço da matéria-prima também deve subir em 2020, segundo relatório do Credit Suisse. O documento argumenta que os estoques da China terminaram 2019 em níveis muito baixos e que isso, junto ao ano novo chinês mais cedo, sugere que a produção de aço deve crescer rápido no primeiro trimestre.

O banco também cita planos de investimento em infraestrutura da China, além de oferta ainda reduzida da commodity, com os estoques dos portos nos níveis mais baixos desde setembro e com os embarques do Brasil e da Austrália caindo com o inicio da temporada chuvosa em ambos.

Do lado corporativo, o Bradesco BBI recomendou compra das ações da Vale na segunda (13), indicando que a empresa é uma "subestimada máquina de fazer dinheiro em modo de diminuição de riscos",  o que levou a Vale a subir 3,6% na ocasião. O Bradesco é um dos maiores acionistas da Vale.

O cenário positivo se junta às medidas reparatórias e preventivas que a companhia tem anunciado, como a reincorporação de nove barragens semelhantes à de Brumadinho ao relevo e ao ambiente (descaracterização). A medida visa evitar novos rompimentos.

A barragem de Brumadinho se rompeu em menos de dez segundos, e despejou 9,7 milhões de metros cúbicos de rejeitos em menos de cinco minutos, o equivalente a 75% do conteúdo da estrutura. 

Os materiais retidos na barragem apresentavam comportamento frágil, diz relatório, fazendo com que perdessem resistência.

O ocorrido é semelhante ao rompimento da barragem de Mariana, em 2015, da mineradora Samarco --que tem a Vale como uma de suas donas--, quando 19 pessoas foram mortas.

Foram abertas cinco CPIs para investigar o caso: na Câmara, no Senado, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais e nas Câmaras de Vereadores de Belo Horizonte de Brumadinho.

Em setembro, treze funcionários da Vale e da Tuv-Sud, empresa alemã responsável por atestar a estabilidade da estrutura de Brumadinho, foram indiciados por crimes de falsidade ideológica e uso de documentos falsos com relação ao rompimento da barragem B1, na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Segundo estimativas da Vale, foram desembolsados com reparação, indenizações e despesas pelo desastre em Brumadinho US$ 1,6 bilhão (R$ 6,55 bilhões) em 2019. Tal valor é menor que a quantia a ser distribuída acionistas de R$ 7,25 bilhões, na forma de juros sobre capital próprio, referentes ao ano de 2019.

A provisão total relacionada a Brumadinho até 2031 é de US$ 8 bilhões (R$ 32,75 bilhões), valor que inclui a descaracterização de nove barragens.

Nos dois trimestres que se seguiram ao desastre, a companhia reportou prejuízos líquidos de R$ 6,78 bilhões no total. No terceiro trimestre, a Vale voltou a registrar lucro, de R$ 6,5 bilhões, um resultado 13,7% superior ao registrado no mesmo período de 2018.

A tragédia em Brumadinho afetou a produção de minério de ferro da companhia e afetou a indústria brasileira, com impacto negativo no PIB (Produto Interno Bruto) do país.

Após o rompimento no Córrego do Feijão, a mineradora interrompeu o uso de barragens semelhantes e, em seguida, autoridades como o Ministério Público e a ANM (Agência Nacional de Mineração) determinaram o fechamento de outras unidades.

De acordo com a Vale, sua produção de minério no primeiro trimestre foi 11,1% menor do que no mesmo trimestre do ano anterior. A queda comprometeu a disponibilidade internacional da matéria-prima, elevando seu preço.

Segundo relatório da XP Investimentos, "para cada US$ 10 por tonelada de aumento no preço do minério, o Ebitda da Vale aumenta US$ 3 bilhões".

O Ebitda (lucro antes de impostos, depreciação e amortização) é uma medida usada por analistas do mercado financeiro para avaliar o resultado operacional da companhia. A empresa pode ter um Ebitda positivo e registrar prejuízo. No terceiro trimestre de 2019, a Vale teve um Ebitda de R$ 18,3 bilhões.

"A produção [da Vale] foi comprometida, mas isso foi compensado pelo preço do minério de ferro, que está em um patamar bem elevado. Fora que a companhia fez o dever de casa bem feito, reduziu o endividamento e melhorou o caixa", diz Luis Sales, da Guide Investimentos.

O analista lembra que a empresa quase se recuperou de Brumadinho já em abril do ano passado, mas voltou a cair pelos riscos relacionados a outras barragens.

A alta do dólar, cotado a R$ 4,16, também contribui para a melhora nos resultados da companhia, que é voltada a exportação. Desde janeiro passado, a moeda americana sobe cerca de 10% em relação ao real.

No mesmo dia da tragédia em Brumadinho, a XP afirmou em relatório que o rompimento da barragem e queda de 8% dos recibos de ações (ADRs) da mineradora na Bolsa de Nova York no dia 25 não alteravam a recomendação de compra da corretora.

"A queda de aproximadamente 10% [em Nova York] parece já refletir parte relevante dos riscos, portanto mantemos nossa recomendação inalterada, em compra, com horizonte de médio - longo prazo. Entretanto, uma série de incertezas em relação ao impacto no curto prazo permanecem, portanto sugerimos cautela", diz Karel Luketic, estrategista-chefe da corretora, no documento.

Diferente das ações no Brasil, as ADRs ainda não se recuperaram da forte queda e são cotados a  US$ 13,63 (R$ 56,75). Antes da tragédia, eles eram negociados a US$ 14,86 (R$ 61,87).

Na ocasião, a Bolsa de Valores brasileira estava fechada por conta do feriado do aniversário da cidade de São Paulo. Nesta sexta, o Ibovespa fechou em alta de 1,52%, a 118.478 pontos...

Tragédia em Uauá: Homem atira contra uma mulher, mata uma criança de cinco anos e morre em confronto com a polícia

Uma tentativa de feminicídio acabou em tragédia em Uauá na manhã desta sexta-feira (03). Um homem atirou contra uma mulher, empregada de um supermercado e acabou matando uma criança de apenas cinco anos. Segundo testemunhas foram disparados, pelo menos, seis tiros.

A mulher, Daniela Matos dos Santos, vítima da tentativa de homicídio levou dois tiros, foi levada para o hospital, e depois transferida para o Hospital de Traumas em Petrolina. A criança, que estava com a mãe fazendo compras, morreu no local...

Flamengo, bem cotado nos gramados e à sombra da maior tragédia de sua história

Duas realidades opostas se chocam ao expressar as emoções de 2019 para o Flamengo. De um lado, o time avassalador que investiu mais de 200 milhões de reais em reforços pode se sagrar campeão brasileiro, Libertadores e vice campeão do Mundial Interclubes e, com os cofres turbinados por premiações, bater o recorde de faturamento em sua história. Do outro, a instituição abalada pelas repercussões do incêndio que matou 10 jovens em seu centro de treinamento, no início de fevereiro. Apesar do sucesso da equipe de Jorge Jesus, Gabigol e companhia, a sombra da tragédia não se descola da imagem do clube nem da cúpula rubro-negra.

No dia 05 dezembro a Justiça do Rio de Janeiro determinou que o Clube de Regatas do Flamengo pagar pensão mensal de R$ 10 mil a cada uma das famílias dos dez jovens mortos no incêndio ocorrido no Centro de Treinamento do Ninho do Urubu, em fevereiro deste ano. A decisão liminar – provisória – atende a pedido da Defensoria Pública (DPRJ) e do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), em processo em curso na 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca...

ARTIGO 360 - UMA TRAGÉDIA E DOIS IMATUROS!

Acho que poucas vezes em nossa história se tenha testemunhado um episódio gerador de tantas controvérsias e envolvido tanta gente em duvidosas preocupações ambientais, como as queimadas que atingiram a Amazônia nos últimos dias. É óbvio que qualquer que seja a intensidade de um incêndio que envolva uma floresta da magnitude da Amazônia, de uma flora e fauna de incomensurável potencialidade, o fato irá sensibilizar e preocupar as pessoas de bom senso, não só brasileiras como de qualquer parte do mundo.

Apesar de tudo isso, o que se percebe dos dados históricos divulgados pelo INPE e objeto de amplos comentários por parte de analistas independentes e não ideológicos, as secas são um fenômeno cíclico que ocorre sempre em todas as regiões do Brasil e nos países vizinhos da América do Sul. Segundo a NASA, após análise de dados informados pelo satélite, o total de incêndios na Amazônia em 2019 “aproxima” da média registrada nos últimos 15 anos!..

JORNALISTA JUAZEIRENSE PROMOVE CAMPANHA “NÃO COMPARTILHE TRAGÉDIA". ENTENDA:

O jornalista juazeirense Glauber Dantas lançou esta semana nas suas redes sociais uma campanha que imediatamente foi acatada por uma série de seguidores: #NÃO COMPARTILHE TRAGÉDIA.

Em sua página no Instagram Glauber Dantas justificou a iniciativa. Confira: “Bem, antes desse triste acontecimento com Gabriel Diniz eu já vinha observando esse comportamento: alguém cai de moto na Orla, um carro vira na ponte, e o que se vê? Celulares a postos e pessoas ávidas por uma exclusividade mórbida das imagens. A que ponto chegamos?..