RedeGN - Justiça Eleitoral reconhece manipulação na cota de gênero na chapa do PDT em Casa Nova, mas ainda cabe recurso

Justiça Eleitoral reconhece manipulação na cota de gênero na chapa do PDT em Casa Nova, mas ainda cabe recurso

A Justiça Eleitoral reconheceu uma fraude no processo eleitoral em Casa Nova, em decisão proferida nesta segunda-feira (29), em instancia local, assinada pelo juiz Rafaele Curvelo Guedes dos Anjos. A decisão pune dois integrantes da legenda, Maria Rosileide Passos Silva, a "Leda", e Alexlandijane Antunes da Silva “Alex de Santana”, com oito anos de inelegibilidade.

A ação, de acordo com o advogado que assina a peça acusatória, Raoni Cezar Diniz Gomes, “deve implicar numa anulação dos votos do PDT na última eleição para vereador em Casa Nova, mudando o cenário eleitoral”, acredita.

"Uma possível anulação dos votos conquistados pela chapa, implicaria na cassação do mandato do vereador Fabrine de Lima Pinto, popularmente conhecido como “Pinto”, que deixaria a condição de eleito em função de uma possível reformulação dos cálculos eleitorais e Vanderlin Carvalho, do PCdoB, passaria a ser o eleito", disse.

É importante afirmar, no entanto, que a decisão proferida nesta segunda-feira (29) não trata da anulação de votos, apenas da constatação das fraudes na cota de gênero e ainda cabe recurso, de acordo com advogados consultados pela redeGN.

A redeGN aguarda uma manifestação do PDT e dos citados na matéria para colocar seus posicionamentos sobre o assunto.

Da redação redeGN