RedeGN - Juazeiro: Banda de Música da Polícia Militar e sua harmoniosa missão

Juazeiro: Banda de Música da Polícia Militar e sua harmoniosa missão

"A música é um alimento para o espírito e estimulador da alma". A citação é atribuída ao General Jonas Correia, em 1921. Segundo o Professor Florêncio de Almeida Lima, em seu livro Elementos Fundamentais da Música, "as bandas de música são excelentes fatores de cultura artística e concorrem poderosamente para o desenvolvimento do bom gosto do povo".

Estes sentimentos foram vivenciados ontem quarta-feira (4), na Orla II / Vaporzinho, com a apresentação da Banda de Música Maestro Wanderley, em comemoração ao aniversário de 125 anos de criação do 3º Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação (BEIC), comandado pelo Tenente-coronel PM Jaime de Almeida Malvar.

A reportagem da redeGN obteve informações, junto a assessora de imprensa do CPRN, Capitâ Suênia que a Banda de Música da Polícia Militar da Bahia foi criada em 17 de setembro de 1849, por imposição da Lei Provincial nº 352 e teve como primeiro regente o professor Laurêncio José Aragão. Em 9 de Fevereiro de 1968, o grupo passou a denominar-se Banda de Música Maestro João Antônio Wanderley, um dos maiores maestros que a Bahia teve, o qual regeu a banda no período de 1912 até 1927.

Durante os seus 172 anos de existência a banda participou na Guerra do Paraguai, realizou várias apresentações pelo Brasil, chegando a ser regida pelo maestro Antônio Carlos Gomes na peça “O Guarani”; ostentou também o feito de ser a primeira banda a gravar em estúdio um “LP” no ano de 1917, no Rio de Janeiro. Já em 1994, inusitadamente realizou um concerto em cima de um trio elétrico no Farol da Barra. 

Por sua importância histórica e cultural, através da Lei Estadual 13.922/18, a Banda de Música tornou-se reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial da Bahia.

Já a Banda de Música Seção Juazeiro foi criada em 01 de Julho de 1958 e, ao longo desses 63 anos de existência, já se apresentou em diversas cidades da região sanfranciscana, inclusive em outros estados como Pernambuco e Piauí, tornando-se também Patrimônio Cultural da Cidade de Juazeiro, através do Projeto de Lei n. 1.955/99, constituindo um importante instrumento de difusão das ações sociais da Polícia Militar da Bahia.

HISTÓRICO: A cidade de Juazeiro, Bahia, já contava com bandas musicais que agitavam os eventos na cidade, sobretudo na conhecida Rua da 28, a exemplo da Sociedade Filarmônica 28 de Setembro (fundada em 1897) e a Sociedade Filarmônica Apolo Juazeirense (fundada em 1901). Eram grupos rivais que levavam a música aos ouvidos e aos corações das pessoas, embalando a movimentada cidade portuária. Dessas duas filarmônicas surgiram, ao longo do tempo, diversos movimentos culturais, a exemplo dos grupos carnavalescos “Filhos do Sol” e “Os Embaixadores de Veneza”, da Sociedade Apolo e
da 28 de Setembro, respectivamente.

No início da década de 50 do século XX, o 3º BPM/J (Batalhão de Polícia Militar de Juazeiro), já contava com imenso efetivo e responsabilidade territorial sobre a região
Norte do Estado. Precisava de uma banda marcial nos moldes da banda de música da PMBA em Salvador (que ainda não se chamava Banda Maestro Wanderley, fato que somente aconteceu em 1968). O 3º BPM carecia dessa inovação para dar mais garbo às solenidades militares, eventos cívicos e formação castrense – pois já era um centro de formação militar.

Documentos existentes no arquivo do 3º BEIC, dão conta de que a Banda de Música do 3º BPM, foi fundada oficialmente no dia 03 de julho de 1958. À época o 
6 comandante do 3º BPM era o Cel PM Gerson Aureliano Alves, de quem partiu inicialmente a ideia de compor a banda, juntamente com a oficialidade da Unidade. O
Comandante Geral da PMBA, de imediato atendeu o pleito do Batalhão de Caçadores (antiga denominação da Unidade/1931-1956), deferindo a solicitação do 3º BPM.

Assim, no dia 1º de julho de 1958, foi iniciado o chamamento para o alistamento e seleção dos civis em toda região. Então no dia 03 de julho de 1958, a banda de música foi oficialmente fundada no 3º BPM, depois de todos os tramites administrativos.

Após seleção dos componentes, ensaios, estruturação e ajustes; veio a primeira apresentação da banda ao público juazeirense. Foi no dia 07 de setembro 1958, uma
apresentação cercada de apreensão e grande expectativa pela população. Todos queriam contemplar aquela novíssima banda “filha da terra”. No dizer da professora
Bebela, em reportagem publicada no Jornal de Juazeiro em 07 de dezembro de 1998 (por ocasião dos 40 anos da banda), a apresentação da Banda do 3º BPM, naquele 07 de setembro, “foi um deslumbramento, a cidade vibrou, exultou de jubilo e orgulho”. 

 

Redação redeGN