RedeGN - APA Petrolina é referência entre as equipes de atletismo do País

APA Petrolina é referência entre as equipes de atletismo do País

A Associação Petrolinense de Atletismo (APA) começou com uma equipe pequena, em 2003, com o simples objetivo de organizar um grupo de corredores da cidade de Petrolina, no sertão de Pernambuco, que fica a 712 km de distância da capital Recife. Agora, após quase 18 anos, a associação tornou-se referência no Brasil, um verdadeiro case de sucesso dentro do esporte.

A APA é uma das raras equipes de atletismo do País com a certificação da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania do Governo Federal. Esse status, obtido por meio da busca da excelência de governança e de boas práticas administrativas, já rende frutos muito importantes.

A instituição conseguiu aprovar um projeto incentivado e já captou mais de 50% do valor autorizado, recursos aportados pela Bayer do Brasil. Além disso, obteve mais de R$ 50 mil por meio de doações no imposto de renda pessoa física e tem verba comprometida do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) de R$ 360 mil, divididos em três parcelas para o ciclo olímpico, para a compra de equipamentos e implementos.

A APA ainda conta com o patrocínio da Prefeitura de Petrolina e da ARA Agrícola, além de parcerias com o SESI, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia e da CONAP (Contabilidade, Administração e Processamento).

Na home do site da equipe (http://www.apapetrolina.com. br), há destaque para campanha "Sócio vencedor APAPETROLINA!", em que convoca interessados a ajudar a associação em seu trabalho de descobrir e desenvolver atletas e paratletas da região. Em troca da colaboração financeira, o sócio vencedor (individuais e corporativos) desfruta de benefícios, como descontos em eventos promovidos pela APA, participação em promoções exclusivas, ganha descontos na rede de parceiros, carteirinha de sócio e informações em primeira mão.

"O compartilhamento de informações como o sucesso da APA visa a estimular outras equipes a praticar a mesma forma e facilitar a captação", disse Wlamir Motta Campos, presidente do Conselho de Administração da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). "O objetivo é inspirar as demais equipes do País a buscar a excelência na governança e consequentemente a autossuficiência financeira."

Wlamir visitou a associação em duas oportunidades, em 2019 e neste ano de 2021 conhecendo as ações realizadas e atuou para convencer o Governo Federal a construir uma pista oficial em Petrolina - a autorização foi assinada pelo Ministério da Cidadania no dia 13 de dezembro de 2020. "Será a primeira pista do sertão nordestino, uma pista com certificação nível 2, que poderá receber até mesmo um Campeonato Sul-Americano de Atletismo", comentou Wlamir. "É preciso incentivar sempre que as equipes e as Federações Estaduais busquem a certificação da Secretaria Especial do Esporte para poderem obter recursos públicos e privados."

Duas décadas - Nos quase 18 anos de existência, já passaram pela instituição mais de 1.500 pessoas, entre atletas e paratletas. Um trabalho, segundo o diretor executivo da APA, Natanael Barros, que rendeu centenas de medalhas e o respeito dentro e fora do Brasil. "Por meio da APA, pessoas com ou sem deficiência tiveram a chance de descobrir o esporte. Hoje, a associação conta com 150 integrantes, dos quais 45 são paratletas", disse Barros.

Entre os destaques da equipe, estão nomes como o de Edson Amaro, terceiro colocado da Maratona do Rio, em 2015, segundo na Maratona de São Paulo em 2017 e terceiro na Maratona de Pádova (ITA); Wellington Bezerra, bicampeão do Ranking Caixa/CBAt de Corredores de Rua 2015/2016, bicampeão da Corrida Cidade de Aracaju 2016/2017,vice-campeão da Maratona do Rio de Janeiro e de São Paulo em 2018; os paratletas Francisco Daniel, campeão Parapan-Americano em 2011 em Guadalajara (MEX), heptacampeão brasileiro nas provas dos 1.500 m na categoria T37 e vice-campeão do Open Internacional de Berlim, e Josoaldo Coelho, medalhista no Open Internacional de Berlim (GER), entre outros.

Desde 2016, a APA é reconhecida como entidade de utilidade pública municipal pelos relevantes serviços prestados a comunidade e em 2019 foi premiada com a medalha de honra ao mérito desportivo pelo poder legislativo, que reconhece a importância da entidade para o esporte da cidade.

Já em dezembro de 2020, a Associação Petrolinense de Atletismo recebeu da Secretaria Especial do Esporte a certificação das exigências formais contidas nos artigos 18 e 18A da Lei 9.615/1998, a Lei Pelé. O documento atesta que a instituição cumpre os critérios de autonomia e viabilidade financeira, gestão democrática, transparência econômica e fiscal e boa governança.

"Com esses reconhecimentos, conseguimos por meio da Lei de Incentivo do Esporte captar recursos pelo Fundo Municipal da Criança e Adolescente com a Bayer e a ARA Empreendimentos. Em ambos os casos, 1% do valor do imposto devido foi direcionado a APA", disse Natanael Barros. "A partir da profissionalização da gestão e da necessidade de atender aos pré-requisitos de uma boa governança, tornamos a APA referência na modalidade no interior do Nordeste".

Destacou ainda que as parcerias e convênios foram fundamentais para o crescimento da instituição e a parceria com o SESI-Petrolina para a utilização da pista de atletismo, musculação, sala de reuniões, depósitos entre outros. Já com o Hospital Universitário IF Sertão Pernambucano existe um termo de cooperação técnica e cientifica entre as partes.

Ascom