RedeGN - Lucinha Mota contesta informação do governo de Pernambuco sobre resolução de homicídios no Estado

Lucinha Mota contesta informação do governo de Pernambuco sobre resolução de homicídios no Estado

Sandro Romilton e Lúcia Mota, pais de Beatriz.

Lucinha Mota, mãe de Beatriz Angélica Mota, criança de 07 anos que foi assassinada em dezembro de 2015 no interior da Escola Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, voltou a manter contato com a Rede GN na noite desta quinta-feira (15) para contestar a informação de que “homicídios caem novamente em Pernambuco e ficam no menor patamar de toda a série histórica” concedida pelo governo Paulo Câmara (Veja aqui).

Segundo Lucinha o Instituto Sou da Paz expôs mapa da impunidade de crimes contra a vida no brasil em 3ª edição de estudo e nele consta que o Rio de Janeiro é o pior estado desse ranking, tendo esclarecido apenas 11% dos homicídios ocorridos em 2017. Ele é seguido de Pernambuco, com 21%; Acre, com 29%; e Paraíba, com 30%; estados que melhoraram sua capacidade de esclarecimento de homicídios em relação ao ano anterior, mas que ainda apresentam índice baixo.

Lucinha que luta há cinco anos e quatro meses para esclarecer o assassinato da filha de 07 anos ainda lembra que no domingo (11) o Estado de Pernambuco foi notificado através do Consulado Americano para propor uma parceria em que peritos americanos, pudessem participar do inquérito do “caso Beatriz” para contribuir com a solução do crime. "Até hoje o Estado de Pernambuco nunca se manifestou" desabafa lucinha Mota.

Veja a publicação do Instituto Sou da Paz AQUI