RedeGN - Imprimir Matéria

ESPAÇO DO LEITOR: A VINDA DO GOVERNADOR X MÃOS DADAS (Drummond)

30 de Jul / 2011 às 23h00 | Espaço do Leitor

Quais são os critérios para ser um bom político? Ter uma boa oratória ou ser filho do Rei? Correr atrás do governador seria também ser um bom político, ou ter um bom partido? Como assim partido? Quem ali tinha algum partido? Todos os políticos numa mesma direção.

Momentos de encontrarmos bons amigos e pousar para fotos juntos. Política. Extremamente sóbria e embriagada. Vi olhares oriundos de imperfeições, sujos como as mentes de muitos e importunos como o lixão. Pude cumprimentar autoridades, ter contatos com empresários, falar sobre a Feira seria mais interessante, já que o momento era pra isso, se não fosse o que eu ouvi perante o governador.

Vem na cidade, nos prestigiar com sua visita, tem seu valor perante Juazeiro e aí se vê pressionado por um e outro, pessoas oportunistas, visando o bem estar de determinados políticos, puxando em seu colarinho e dizendo mazelas descabidas que sujam a imagem de nossa cidade com gananciosos e vaidosos pensamentos hostis, acreditando que torcer por Juazeiro é estar no poder dele. Falta de ética e compromisso, falta de educação, mas essa vem de berço, não é para todos.

Pois bem, pude ver também momentos de aplausos e elogios que revigoram e nos orgulham de continuar lutando por Juazeiro. Falas positivas e enérgicas que foram bem ditas e ouvidas.  Rodas de negócios, investimentos acontecendo. Pessoas sorrindo e vibrando para que bons fluidos acontecessem para melhorarmos as necessidades de nossa cidade.

Sabemos sobre as diferenças partidárias, mas não se preza mais o bem estar de Juazeiro. Se o prefeito não é de meu time eu não torço. Se o deputado é flamenguista eu sou vascaíno. E assim por diante. O que adianta falar em amor se o que eu tenho é ódio. Será que estamos no fim do mundo onde nada acontece ou as pessoas estão mais egoístas?

Eu não posso falar com A porque B não entenderia. O que é isso? Onde estamos? Não podemos ter mais amigos políticos? É isso? Torcer por Juazeiro, só se meu time estiver ganhando? Pois é, meu tempo é outro. Como dizia Carlos Drummond de Andrade em seu poema Mãos dadas, “o tempo é a minha matéria, do tempo presente, os homens presentes, a vida presente.” 

 Carla Lorena Pesqueira Macedo Maia

Mãos Dadas

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas. 

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente. 

(Carlos Drummond de Andrade)

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.