RedeGN - Imprimir Matéria

Oito cidades baianas fazem parte da primeira etapa do Plano Nacional de Banda Larga, Juazeiro está fora por enquanto

01 de Jul / 2011 às 18h00 | Variadas

Oito cidades baianas fazem parte da primeira etapa do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), cujos detalhes foram anunciados pelo governo nesta quinta-feira (30) . A previsão é de que o plano esteja disponível para compra em 90 dias e os novos planos de acesso terão um limite mensal de download de 300 MB para internet fixa e de 150 MB para a móvel, no plano básico que custará R$ 35.

Ao atingir este limite, o cliente poderá optar por reduzir a velocidade de conexão ou pagar o excedente para manter a velocidade. Este limite de 300 MB permite que se baixe 60 músicas em formato MP3 ou dois episódios de um seriado americano com 22 minutos de duração cada. Como um filme costuma ter entre 700 MB e 1,4 GB, o limite dos planos do PNBL não permitira que o usuário baixasse um longa sem sofrer redução de velocidade ou ter que pagar um valor adicional.

O governo assinou um acordo com as empresas Telefonica, Oi, CTBC e Sercomtel, que devem ter uma meta anual de cobertura de municípios - a expectativa é de que todos tenham cobertura em 2014, quando acontece a Copa do Mundo do Brasil. Na Bahia,  as cidades contempladas na primeira leva são Feira de Santana, Itabuna, Camaçari, Governador Mangabeira, Eunápolis, Governador Lomanto, Muritiba e Presidente Tancredo Neves. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, não soube no entanto informar o valor das multas que as empresas terão que pagar em caso de descumprimento da meta - além de multa, as empresas estarão sujeitas a outras sanções.

Será possível comprar somente o serviço de internet, mas as empresas também poderão oferecer pacotes que incluam serviço de telefone fixo, segundo o PNBL. Para ter acesso à internet móvel, os clientes terão que comprar um modem, cujo valor ainda não foi divulgado. Para o ministro, a velocidade de 1Mbps oferecida pelo plano não é baixa e metada das conexões atuais do Brasil estão abaixo dessa velocidade. "Estamos elevando o patamar", assegurou. Além disso, o ministro disse também que o acordo prevê uma oferta "em larga escala" de internet a 5Mbps de velocidade até 2014. O ministro acredita que a velocidade do PNBL avance com os anos. (Com informações do G1)

© Copyright RedeGN. 2009 - 2022. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.