RedeGN - Imprimir Matéria

“Ninguém fechará esta Corte”, diz Fux em reação a ataques de Bolsonaro

08 de Sep / 2021 às 15h00 | Política

Após os ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contra o Supremo Tribunal Federal (STF), proferidos em discursos nos atos de 7 de setembro em Brasília e em São Paulo, o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, afirmou que “ninguém fechará esta Corte”. “Nós a manteremos de pé, com suor e perseverança”, falou. As declarações foram dadas nesta quarta-feira (8/9), na abertura da sessão plenária.

Em resposta às ameaças de Bolsonaro de descumprir decisões judiciais do ministro Alexandre de Moraes, Fux alertou que, se o presidente da República realmente ignorar medidas impostas contra ele e a União, estará cometendo “crime de responsabilidade, que deverá ser analisado pelo Congresso Nacional”.

“O STF não tolerará ameaças à autoridade de suas decisões. Se o desprezo às decisões judiciais ocorre por iniciativa do Chefe de qualquer dos Poderes, essa atitude, além de representar atentado à democracia, configura crime de responsabilidade, a ser analisado pelo Congresso”, pontuou.

O presidente do STF também disse que “ofender a honra dos ministros, incitar a população a propagar discursos de ódio contra a instituição do Supremo e incentivar o descumprimento de decisões judiciais são práticas antidemocráticas e ilícitas”.

“Não podemos tolerar, em respeito ao juramento constitucional que fizemos ao assumir uma cadeira na Corte", Luiz Fux, presidente do STF.

Fux ainda deixou um recado ao povo brasileiro: “Não caia na tentação das narrativas fáceis e messiânicas, que criam falsos inimigos da nação”.

Discurso de Bolsonaro contra o STF

Em meio aos atos convocados para o Dia da Independência, na terça-feira (7/9), Bolsonaro proferiu ataques à Corte, citando nominalmente o ministro Alexandre de Moraes, alegando que não cumprirá decisões judiciais vindas dele, e afirmou que o Poder Judiciário “pode sofrer o que não queremos“.

“Juramos respeitar a nossa Constituição. O ministro específico do STF [Moraes] perdeu as condições mínimas de continuar dentro daquele tribunal. Não podemos continuar aceitando que uma pessoa específica continue paralisando a nossa nação. Não podemos aceitar. Ou esse poder [Judiciário] pode sofrer aquilo que nós não queremos. Sabemos o valor de cada poder da República”, falou.

Bolsonaro também anunciou uma reunião com o Conselho da República – que pegou autoridades de surpresa, incluindo o Fux.

Após as declarações polêmicas, os ministros se reuniram de forma virtual para tratar da questão. Na ocasião, ficou definido que o presidente do Supremo se manifestaria sobre os ataques do chefe do Executivo no início da sessão plenária desta quarta.

Metrópoles / foto: Marcos Corrêa/PR

© Copyright RedeGN. 2009 - 2021. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.