RedeGN - Imprimir Matéria

"Operação Alcateia" é realizada em Paulo Afonso e Conde, e no município de Boca da Mata, em Alagoas

28 de Apr / 2021 às 14h13 | Policial

Um homem suspeito de ter sequestrado a principal testemunha de crimes cometidos por policiais civis e militares na Bahia, foi preso na manhã desta quarta-feira (28), durante uma "Operação Cáfila". Os crimes são investigados na "Operação Alcateia".

Segundo informações do Ministério Público da Bahia (MP-BA), além do homem preso, dois alvos ainda estão foragidos, dentre eles um oficial da Polícia Militar.

Denominada “Cáfila”, a operação do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) contou com agentes da corregedoria da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e foi realizada nas cidades baianas de Paulo Afonso e Conde, e no município de Boca da Mata, em Alagoas. Oito mandados de busca e apreensão também foram cumpridos.

De acordo com o órgão, a ação ocorreu para apurar indícios do sequestro e possível homicídio de Alex Cirino Barbosa, que ocorreu em 7 de abril, em Paulo Afonso. O MP afirmou que a vítima ainda não foi encontrada, mas não há nenhum indício que ela ainda esteja viva.

Conforme o Ministério Público, Alex Barbosa é a principal testemunha das investigações que resultaram na prisão de vários policiais militares, suspeitos de integrarem uma organização criminosa com perfil típico de milícia, como tortura e extorsão, além de tráfico de droga e outros delitos.

O sequestro foi filmado por câmeras de segurança na rua e mostram o exato momento em que a vítima é abordada, imobilizada e colocada dentro de um veículo. As imagens ajudaram as investigações a encontrar uma caminhonete, que já tinha sido vista com um oficial da PM.

Ainda segundo o MP, o sequestro e possível morte de Alex Cirino é uma “tentativa de intimidar testemunhas e embaraçar a ação penal resultado da Operação Alcateia”, que está em curso na Justiça Criminal de Itabuna e teve audiência de instrução na terça-feira (27).

De acordo com o órgão, um dos alvos da operação desta quarta-feira é irmão de um dos policiais – já preso –, o que reforça a tese que o crime seria para impedir que a testemunha prestasse depoimento.

Com isso, a 1ª Vara Crime da Comarca de Paulo Afonso pediu a prisão temporária do oficial da PM e mais dois envolvidos, além das buscas e apreensões nos endereços residenciais dos investigados e batalhões da PM em Paulo Afonso e Conde, no interior baiano.

© Copyright RedeGN. 2009 - 2021. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.