RedeGN - Imprimir Matéria

Juazeirense que teve a caixa d’água roubada no bairro Novo Encontro convida ladrão para ir buscar a tampa que ele esqueceu

22 de Feb / 2021 às 21h14 | Variadas

Pense num absurdo, na Bahia tem precedente! A frase é do ex-Governador da Bahia de 1947 a 1951, Otávio Mangabeira, que a externava ao saber dos absurdos que aconteciam Brasil à fora e, quando ocorriam na Bahia, manifestavam-se com a devida ênfase.

Pois bem, na noite desta segunda-feira (22) a redação da Rede GN foi surpreendida com a mensagem e fotos da Senhora Gisela Pereira, moradora da Travessa Raul Seixas, ao lado da igreja São Pedro, Novo Encontro, próximo ao Ginásio de Esportes.

Na mensagem, Gisela desabafa a sua indignação com um “dono do alheio” que subtraiu a caixa de água da sua obra, deixando, por esquecimento ou descuido, a tampa do equipamento.

Para não perder a piada, embora indignada, Dona Gisela prendeu a tampa da caixa de água numa das paredes da obra com um bilhete para o ‘ladrão’: “A pessoa que roubou a caixa d'água da minha obra estou disponibilizando a tampa para ele não ter despesa extra”.

Para a Rede GN Gisela Pereira comentou: “Olá, minha gente! Ajude a divulgar aí, por gentileza. Quem sabe chegue até o prezado ladrão e ele venha concluir o roubo. Estou preocupada que ele tenha esse gasto extra.  Sou moradora do o Bairro Novo Encontro, acho que as pessoas tem que ser mais solidárias e não desonestas”.

E concluiu “Seria cômico se não fosse trágico, a gente luta tanto para fazer uma reforma, vende o almoço para comprar a janta e vem o inimigo atentar. Nas favelas e comunidades mais carentes existe respeito e solidariedade. A pessoa despejar a água e carregar a caixa é um absurdo. Eu te agradeço muito, quem sabe alguém que tenha caráter se envergonhe e entregue o larápio. É mais pelo desabafo e para as pessoas ficarem atentas”.

Da redação

© Copyright RedeGN. 2009 - 2021. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do autor.