RedeGN - Cheia Rio São Francisco: A Ilha do Fogo agora é da água

Cheia Rio São Francisco: A Ilha do Fogo agora é da água

A REDEGN acompanha o aumento das águas, a cheia do Rio São Francisco. Dessa vez a foto mostra a Ilha do Fogo sendo invadida pelas águas do Velho Chico. A Ilha é um dos pontos turísticos de Petrolina e Juazeiro e agora neste período será exclusiva das águas, visto a impossibilidade de prática de esporte e ou banho no local.

A engenheira agrônoma, Lorena Araújo Melo confirma que "agora por este período a ilha é das águas". Lorena se refere ao fato de todos os dias ir na Ilha nadar e praticar exercicios físicos.

Sempre importante destacar que a cheia do Rio São Francisco tem sido motivo de alerta. Diante da condição de cheia na Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco foi iniciada operação especial dos reservatórios da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) para promover o controle das águas, tendo em vista que o período úmido na região se estende até abril. 

As vazões de todas as hidrelétricas da Chesf, no Velho Chico, estão em constante aumento com previsão de abertura de comportas (vertimento) a partir do dia 14. No dia 24 de janeiro, a vazão praticada a partir das usinas de Sobradinho (BA) e Xingó (SE) será de 4.000 metros cúbicos por segundo (m³/s).
 
“O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) decretou regime de cheia na Bacia do Rio São Francisco e, dessa forma, temos que atuar com regras específicas, aguardando chegar mais água, pois ainda há grande volume de chuvas acontecendo em Minas Gerais. A previsão é de Sobradinho, nosso maior reservatório, alcançar cerca de 75% de armazenamento no fim de janeiro”, informou o diretor de Operação da Chesf, João Henrique Franklin.

Como as chuvas ocorrem até abril, na Bacia do São Francisco, o diretor acrescentou que há grandes possibilidades de o Reservatório de Sobradinho voltar a atingir armazenamento próximo a 100%, como no período úmido 2019/2020. 

O foco do atual momento é o estreitamento do relacionamento da Chesf com as Defesas Civis e Prefeituras para que estejam cientes da elevação do nível do rio. “Vamos ter vazões que há doze anos não vemos no Rio São Francisco. É necessário haver a liberação da calha do rio, prevalecendo a segurança”, declarou o diretor.

As prefeituras e as defesas civis, além de diversas entidades, já foram comunicadas pela Chesf da liberação de água necessária para o controle de cheia. Confira o comunicado oficial, incluindo a Carta do ONS

Redação redeGN Foto Wilson Duarte