RedeGN - 90% do público-alvo da Campanha já tomou a primeira dose da vacina Covid-19 no Brasil

90% do público-alvo da Campanha já tomou a primeira dose da vacina Covid-19 no Brasil

Nesta quinta-feira (02), o Brasil chegou à marca de 90% do público-alvo vacinado com a primeira dose da vacina Covid-19. Ao todo, 159,3 milhões de brasileiros iniciaram o ciclo vacinal contra a doença e 79,03% completaram o esquema com as duas doses ou dose única. Com o avanço na campanha, o Brasil assiste a um cenário mais arrefecido, com queda de 92,57% na média de óbitos desde o pico da pandemia, registrado em 19 de abril.

Em aplicação de doses de reforço, por exemplo, o país chega a 14,1 milhões de pessoas com a imunização reforçada com a dose adicional ou de reforço. Os adolescentes também têm comparecido aos postos de vacinação para receber a proteção contra a doença. Ao todo, mais de 13,7 milhões de brasileiros entre 12 e 17 anos já tomaram a primeira dose da vacina e 3,4 milhões estão completamente vacinados com as duas doses da Pfizer.

Vale lembrar que o Brasil conta hoje com mais de 213,3 milhões de brasileiros, segundo projeção realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) em 2021. Porém, apenas 177 milhões de brasileiros são vacináveis, público-alvo da campanha de imunização contra a Covid-19.

Doses

Até o momento, mais de 372,5 milhões de vacinas Covid-19 foram distribuídas aos estados e Distrito Federal. Só para o ano de 2021, o Governo Federal adquiriu mais de 550 milhões de imunizantes. No mês de novembro, os laboratórios entregaram ao Ministério da Saúde 59,8 milhões de doses. E, para o ano de 2022, a expectativa é que mais de 354 milhões reforcem a imunidade da população brasileira. Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, as entregas vão garantir doses para ampliar ainda mais a Campanha.

“Queremos que cada um dos brasileiros que estão aptos a receber a vacina, procure livremente as nossas salas de vacinação. São 38 mil salas espalhadas por todo o Brasil. E os profissionais de saúde deram um verdadeiro show. É por isso, que nós temos uma queda sustentável no número de casos e óbitos. Nós conseguimos reduzir uma média móvel de óbitos superior a três mil óbitos por dia para uma média inferior a 250 casos. Essa é a força do nosso SUS”, contou Queiroga.

Da Redação RedeGN / foto: Myke Sena/MS