RedeGN - Leitora mostra insatisfação com horário barquinhas que fazem travessia Juazeiro e Petrolina

Leitora mostra insatisfação com horário barquinhas que fazem travessia Juazeiro e Petrolina

As barquinhas que fazem a travessia entre as cidade pernambucana de Petrolina e Juazeiro, na Bahia são alvos de queixas. Segundo leitora o horário de funcionamento no final da tarde, considerado de pico, é motivo de questionamento.

Confira:

Prezado,  Geraldo José

Sou Madalena, como tantos outros usuária da barquinha que faz travessia Juazeiro/Petrolina, venho através do seu blog fazer um apelo ao setor competente. 
Ultimamente, na parte da manhã são duas barquinhas fazendo a travessia e na parte da tarde só uma barca disponível, o que está causando desconforto para o usuário devido à demora e a quantidade de pessoas, principalmente nesse momento de pandemia.
Nesse horário das 17:30hs, 18:30hs, e agora mais tarde por conta de final de ano as pessoas estão saindo do trabalho e dependem de barca e ônibus , quando questionado ao barqueiro,  falou que fizesse um baixo assinado ou falasse com o presidente da Associação das Barquinhas( só que nas barcas não tem no painel o telefone),  liguei para a Capitania dos Portos, e fui informada que lá não seria o setor competente para a solução do problema.
Por favor, solicito ao órgão competente uma solução, saímos cansados do trabalho , por muitas vezes quando vamos descendo a rampa de acesso a barquinha vai saindo, temos que esperar 15 min ou mais, portanto se faz necessário que coloquem outra barca nesse horário de maior movimento. Usuários agradecem!!

NOTA CAPITANIA FLUVIAL JUAZEIRO: Informo que não cabe a Marinha do Brasil sobre o horário de circulação das barquinhas, somente a fiscalização  do trafego aquaviário quanto a segurança  da navegação.

NOTA CSTT: A CSTT esclarece que a demanda deve ser encaminhada a Agencia Nacional  de Águas (ANA), localizada na Capitania dos Portos, tendo em vista a fiscalização desse tipo de transporte é de sua responsabilidade. Ascom PMJ

A reportagem da REDEGN não conseguiu ter contato com a Associação da Associação de Travessia das Barquinhas.

Espaço Leitor Foto Ilustrativa