RedeGN - Eleição para a Mesa Diretora da Câmara de Petrolina acontece hoje (30); vereador Gilmar Santos fala em "arbitrariedade"

Eleição para a Mesa Diretora da Câmara de Petrolina acontece hoje (30); vereador Gilmar Santos fala em "arbitrariedade"

A eleição da Mesa Diretora para o segundo biênio da Câmara de Vereadores de Petrolina acontece nesta terça-feira (30), às 11h, menos de uma semana depois do edital de convocação ser publicado pelo atual presidente, Aero Cruz, na sexta-feira (26). O mandato da Mesa Diretora que for eleita para o 2º biênio irá vigorar somente de 1º de janeiro de 2023 a 31 de dezembro de 2024. A antecipação da eleição gerou estranheza.

Os possíveis candidatos à disputa tiveram até ontem (29) para registrar suas candidaturas. A eleição será mediante voto em chapa completa, e sairá vencedora a chapa que obtiver a maioria dos votos válidos, desde que tenha a maioria absoluta dos vereadores da Casa Leguslativa. Em caso de empate, será eleita a chapa cujo candidato a presidente tem maior idade.

O vereador Gilmar Santos (PT), da bancada de oposição, emitiu uma nota à imprensa criticando a antecipação da eleição, e falou em "arbitrariedade" por parte de Aero Cruz. O petista disse ainda que ao antecipar as eleições da Mesa Diretora, "o vereador Aero e demais vereadores que o apoiam, rasgam a Constituição, afrontam a vontade do povo, transformam a Câmara em um ambiente de ilegalidades, de interesses escusos e mais, não dão qualquer chance, nem tempo suficiente, para que os membros daquela Casa e a sociedade avaliem sua atuação" [leia na íntegra abaixo]

A Mesa Diretora da Câmara é composta pelo presidente; 1º vice-presidente; 2º vice-presidente; 3º vice-presidente; 1º Secretário; 2º Secretário e 3º Secretario. Atualmente, a Mesa, que tem a frente o vereador Aero Cruz, tem em sua composição os vereadores Manoel da Acosap; Diogo Hoffmann; Zenildo Nunes da Silva; Rodrigo Teixeira Coelho; e Gaturiano Pinto da Silva.

Nota de Gilmar Santos na íntegra

 

 

Enquanto vereador do município de Petrolina, eleito pelo voto popular, passo para reafirmar o meu compromisso em bem representar os interesses da nossa população e alertar para a gravidade de mais uma ação imoral promovida por certos vereadores desta casa legislativa que, em vez de zelarem pelo importante papel e responsabilidade dessa instituição, a transformam em um verdadeiro ambiente de farras, privilégios e interesses particulares.

Em janeiro deste ano o atual presidente da Câmara, vereador Aero Cruz (MDB), juntamente com outros vereadores, membros da Mesa Diretora, foram eleitos para um mandato de dois anos, com término previsto para 31 de dezembro de 2022. Acontece que, antes mesmo de fazer um ano de mandato, o vereador Aero já quer garantir a sua reeleição para continuar à frente deste parlamento entre os anos de 2023 e 2024.

A atitude do vereador Aero Cruz é típica de gente que está encantada com o poder, com regalias e privilégios. Seu salário é de 30 mil reais mensais, 15 mil como vereador e mais 15 mil como presidente da Câmara, pagos pela população de Petrolina. O orçamento que passa por suas mãos é milionário. Só este ano foram mais de 20 milhões. No próximo serão mais de 26 milhões.  E chega a ter até 10 vezes mais assessores que os demais vereadores.

Apesar de toda essa estrutura, todos esses recursos públicos em mãos, a atuação do vereador Aero Cruz tem sido motivo de muita insatisfação, críticas e prejuízos para a nossa população. Seja quando ele apresentou projeto que elevou de 2 mil para 3 mil reais a cota de combustível da Câmara, seja quando ameaçou a usar a força da guarda civil para retirar servidores municipais que lutavam para barrar o criminoso projeto de reforma da previdência encaminhado pelo senhor prefeito. Por sinal, o vereador se comporta mais como um servidor do chefe do executivo que do povo.

Ao antecipar as eleições da Mesa Diretora, o vereador Aero e demais vereadores que o apoiam, rasgam a Constituição, afrontam a vontade do povo, transformam a Câmara em um ambiente de ilegalidades, de interesses escusos e mais, não dão qualquer chance, nem tempo suficiente, para que os membros daquela Casa e a sociedade avaliem sua atuação.

Denunciar essa arbitrariedade deve ser um compromisso não apenas desse vereador, mas de toda a sociedade que, diretamente, será a mais afetada. Nesse sentido, tomaremos todas as medidas cabíveis e possíveis, e esperamos que você, cidadão, cidadã, fortaleça essa luta.

Atenciosamente,

Vereador Professor Gilmar Santos

  

Da Redação RedeGN