RedeGN - Pré-jogo: "Paixão pelo Flamengo e futebol vem do meu saudoso avô e sigo na nova geração", diz rubro-negro

Pré-jogo: "Paixão pelo Flamengo e futebol vem do meu saudoso avô e sigo na nova geração", diz rubro-negro

No Brasil, troca-se de mulher, de partido político, até de religião, mas nunca de time de futebol. Aprendemos assim desde que nascemos e também a saber que não é confiável quem troca de clube de coração.

O futebol é uma paixão nacional, o esporte mais popular do país. Futebol faz parte até da filosofia: "Faça da vida um jogo de futebol… Chute as tristezas, drible as dificuldades e marque gols de alegria". 

O futebol provoca emoções na multidão. Na literatura, a escritora Clarice Lispector presenteou todos com suas palavras sobre a paixão nacional e com toda sua sensibilidade afirma que futebol é muito mais que um jogo,  justamente por imitar a vida e a paixão de pessoas pela vida.

A sensação é de que todos os caminhos conduzem a Montevidéu neste sábado 27. Nas primeiras horas desta manhã, na caminhada já era percebido torcedores rubro-negros e palmeirenses com suas camisas. Meio dia bares e restaurantes bastante movimentados. No geral os comentários giram em torno do jogo.

A presença do vermelho e preto é maioria. Uma final de Copa Libertadores a simbologia de um evento único, uma experiência para toda a vida. Desperta as mais genuínas manifestações de paixão pelo futebol.

O encontro hoje reúne o campeão de 2019, Palmeiras, com o de 2020 Flamengo, valendo o título de 2021.

A reportagem da REDEGN fez contato com torcedores que viajaram via aerea e também, ônibus para assistir o jogo. Bruno Paiva é um exemplo desta nova geração de torcedores. Ele viajou da Paraíba para assistir o jogo. "Futebol e as cores do Flamengo são paixões renovada desde meu saudoso avô. Hoje sigo a paixão também do meu pai. É uma alegria está aqui, pois a Libertadores tem o potencial de unir uma nação", avalia Bruno.

O Flamengo, finalista pela segunda vez em três anos, joga em 2021 a sua quinta Libertadores seguida e fará a sexta em 2022.

"A sensação é de que a Libertadores ainda é mágica. Uma vez Flamengo sempre Flamengo", finaliza Bruno.

Redação redeGN Texto Ney Vital Foto Bruno Paiva