RedeGN - Outubro Rosa no Conjunto Penal de Juazeiro

Outubro Rosa no Conjunto Penal de Juazeiro

Programação alusiva ao Outubro Rosa, mês destinado à campanha de prevenção ao câncer de mama foi desenvolvida no Complexo Penal de Juazeiro (BA).

O intuito foi levar maior conscientização e esclarecimento sobre a importância da prevenção e do autoexame como fatores de sucesso no combate ao câncer de mama, conscientizar, prevenir contra doenças e formar multiplicadores para promover a saúde, combatendo o câncer de mama no sistema prisional. Essa é a missão da equipe multidisciplinar do Conjunto Penal de Juazeiro que aderiu ao movimento Outubro Rosa.

Foi articulado pelo setor de Serviço Social uma programação alusiva ao Outubro Rosa para internas do Conjunto Penal de Juazeiro os dias 13 a 22 do corrente mês.

No dia 13/10 Foi realizada uma roda de conversa mediada pelo setor de Enfermagem, Psicologia e Serviço Social sobre os benefícios da Ginecologia Natural. Mitos e verdades sobre o câncer de mama.

Dia 15/10 Técnica de relaxamento, meditação e roda de conversa estimulando a compreensão da integralidade do cuidado.

Foi ministrada uma palestra educativa e preventiva com a equipe de coordenação do Instituto Ivete Sangalo, onde foram esclarecidas dúvidas e formas técnicas de prevenção contra a doença Câncer de mama e colo de útero, para as internas na Ala feminina. Lincon coordenador do instituto realizou uma atividade com as internas relatando Mitos e Verdades sobre o câncer de mama e orientação sobre o autoexame.

Na oportunidade, duas ex-pacientes do instituto, que venceram a doença relataram como superaram a doença e suas experiências.

No dia 22/10 a Igreja Universal do Reino de Deus grupo (UNP) ofertou as internas da Ala Feminina um café da manhã, entregas de kit de higiene, livros e serviços como; designer de sobrancelhas, limpeza de pele e maquiagem.

"Tivemos a finalidade é fazer esse trabalho de forma preventiva e fortalecer o conhecimento das internas sobre a temática, contribuindo para a humanização da pena, bem como a ressocialização das detentas", finalizou a Assistente Social Denise Leal.