RedeGN - Petrolina terá novo ato contra o Governo Bolsonaro neste sábado (2)

Petrolina terá novo ato contra o Governo Bolsonaro neste sábado (2)

Movimentos sociais, partidos de oposição, sindicatos, entidades estudantis, coletivos e Ongs de Petrolina-PE se preparam para mais um ato por "Fora Bolsonaro", mais empregos, vacina e auxílio emergencial. Marcada para o próximo sábado, dia 2 de Outubro, a manifestação está sendo organizada em parceria com organizações sociais da vizinha cidade, Juazeiro-BA.

A concentração será a partir das 8h da manhã, na Praça da Catedral, de onde os manifestantes seguirão em direção à ponte Presidente Dutra. Além de Petrolina, há confirmação de atos em outras cidades pernambucanas, demais estados do país, Distrito Federal e cidades do exterior.

"A voz das ruas tem que ser ouvida. E nós seremos essas vozes no 2 de outubro e em todas as datas que vierem. Até que Bolsonaro seja afastado para ser julgado pelos crimes que cometeu e comete diariamente contra os brasileiros", afirma a convocação nacional lançada por dezenas de entidades reunidas em frentes (Brasil Popular, Povo sem Medo e Fora Bolsonaro) e partidos políticos (PT, PSOL, PCdoB, PDT, PSB, PV, Rede, Cidadania e Solidariedade).

"Em um país com 212 milhões de habitantes, cuja maioria, segundo todas as pesquisas, rejeita e desaprova Bolsonaro, é urgente que o Congresso Nacional atenda o clamor popular e acate a abertura de processo de impeachment para que Bolsonaro seja afastado e seus crimes apurados e julgados", diz um trecho da convocação.

A Câmara dos Deputados já recebeu mais de 130 pedidos de Impeachment, contudo, nenhum saiu da gaveta e o país afunda em uma série de crises causadas pela política da gestão Bolsonaro. Um dos objetivos do ato é voltar a pressionar o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) a pautar um dos pedidos.

Os sindicatos de servidoras e servidores públicos que integram a organização, reforçam que ocupar as ruas neste momento é crucial para derrubar a proposta de Reforma Administrativa (PEC 32), que tramita no Congresso Nacional. Se aprovada, a PEC vai atingir não só a estabilidade de servidores, mas uma série de instituições, autarquias, Institutos e Universidades Federais, além de representar um risco para os serviços de saúde, educação e segurança pública. A preservação do Rio São Francisco, que no dia 04 de outubro fará 520 anos, também estará na pauta da mobilização.

A última mobilização realizada na cidade foi o 27º Gritos dos Excluídos e Excluídas, no feriado de 7 de setembro, onde, através de um ato solidário, cerca de 400 manifestantes  ocuparam a quadra da Praça da Juventude, no bairro João de Deus. 

A Pandemia não acabou!

A organização recomenda que os manifestantes respeitem todos os protocolos de segurança sanitária, a exemplo do uso de máscaras, álcool em gel e respeito ao distanciamento social.

Mandato Coletivo