RedeGN - Crônica: Eu sou pequeninho, mas carrego o meu valor!

Crônica: Eu sou pequeninho, mas carrego o meu valor!

Nem sempre a simplicidade das perguntas traz consigo respostas fáceis. Quando nos deparamos no nosso dia a dia com as perguntas ligadas à nossa existência percebemos que embora consideradas “infantilmente simples” são extremamente complexas de entender. 

Questões básicas e fundamentais sobre o ser ou a existência nos deixam intrigados diante das nossas limitações. Por exemplo: qual a diferença entre existir e não existir? 

O que é comum a todas as coisas que existem e quais são as propriedades de tudo que existe? 

Será que há maneiras diferentes de as coisas existirem – modos diferentes de ser ou de existência? 

Será que algumas coisas só existem na mente ou para a mente, ao passo que outras existem fora da mente, sendo ou não conhecidas ou mesmo conhecíveis por nós? 

Será que tudo que existe existe fisicamente ou será que há coisas que existem separadas da corporificação material? 

Será que tudo muda, ou será que existe algo imutável? 

Será que algo existe necessariamente, ou será que tudo que existe poderia não ter existido? 

Será que o campo da existência possível é maior que o campo daquilo que efetivamente existe?

São inúmeras indagações que o ser humano pensante faz, principalmente, quando se depara com os infortúnios da vida. Sem querer imiscuir-se nas particularidades de cada pessoa, percebe-se que o ser humano é limitado e o reconhecimento do seu real tamanho, ou seja, a humildade, torna-se fundamental para o autoconhecimento. 

Uma personalidade humilde não é, necessariamente, àquela que costuma andar vestida com roupas velhas nas ruas ou mesmo não cuidar mais da higiene pessoal. Humildade é saber quem você é realmente. Isso não é para te afrontar. Quero dizer que todos nós somos iguais com pontos positivos e negativos, pois somos humanos e estamos aprendendo uns com os outros na arena da vida.

Por isso, nem sempre vamos ser capazes de responder muitas das perguntas simples da nossa vida, mas fique certo de uma coisa, você é importante por existir! Perceba que mesmo achando que as pessoas não gostam do seu jeito de ser há sempre exceções na vida. Não seja tão cruel com você. Mesmo no momento em que nos achamos no fundo do poço. Lembre-se que tudo passa. Portanto, ergue a cabeça, sacode a poeira e vida que segue!

Josiel Bezerra