RedeGN - Movimento Ninguém merece ser atacado é tema do manifesto contra cães soltos

Movimento Ninguém merece ser atacado é tema do manifesto contra cães soltos

O ataque de um cachorro da raça pitbull, na última sexta-feira (16) que provocou ferimentos a Kátia Rodrigues vai ter um manifesto: " Movimento Não Merecemos ser atacados ". A proposta é pela conscientização da Lei 2.852/2016 em Petrolina que em seu artigo diz: "Os animais de grande porte deverão usar focinheira, a guia e o enforcador, além de ser conduzido por pessoas que tenham porte fisico, ou seja, condições para domina-lo".

O organizador do Movimento, Luiz Carlos de Carvalho disse que o ato será em solidariedade a família de Kátia e Etevalne Barbosa. "Não somos contra quem cria mas pedimos a conscientização. A orla e locais públicos sempre tem pessoas, crianças e famíllias e ninguém merece ser atacado. Devemos cobrar a fiscalização da lei que proíbe cães andarem soltos nos locais públicos".  

O movimento acontece nesta quinta (22) com a concentração na Orla, a partir das 18h30 

No início desta semana o empresário Etelvane Barbosa, esposo da vítima contou a ação do cachorro e definiu como "extremamente violento e tudo aconteceu de modo muito rápido".

Segundo informações o Pitbul atacou primeiro a cadela da vítima. Kátia foi mordida no rosto e no couro cabeludo. Kátia já foi liberada hospital onde teve enxerto de pele e foi submetida a uma cirurgia de emergência.  "Não sei quem são os proprietários do cachorro. Eu não vou deixar impune, para que isso não aconteça com outras pessoas. Se viesse só minha esposa, ela não escaparia”, diz o empresário.

"É uma tragédia. Deus agiu. Poderia ter perdido minha esposa. Estamos todos assombrados, assustados. Eu solicito a quem tiver um cachorro deste não andar, passear com ele sem focinheira. Meu Deus o cachorro é muito violento", declarou Etelvane.

Um boletim de ocorrência policial foi aberto. Emocionado, Etelvane agradeceu a todas as pessoas que ajudaram a família no momento do ataque.

“Quero fazer um agradecimento, primeiramente a Deus, não tenho dúvidas que a mão dele agiu para que minha esposa não estivesse morta nesse momento, porque eu pensei que estava. Deus livrou do mal. Quero agradecer as pessoas que oraram, a quem publicou, agradecer aos médicos, que em um momento daqueles fizeram a cirurgia”.

Em nota, a Polícia Civil informou que abriu inquérito para investigar o caso. "Mais informações não serão repassadas para a imprensa neste momento, para não atrapalhar o andamento das investigações", disse a nota.

Desde o final de semana o assunto ganhou as redes sociais. Várias pessoas alertaram as autoridades para o "perigo de cachorros da raça pitbull andarem soltos na orla de Petrolina e Juazeiro". A maioria dos internautas acusou que é "comum se deparar com cães da raça Pitbull em locais públicos acompanhados por seus donos e sem coleiras/focinheiras, o que favorece um ataque do animal a adultos e crianças transitando no local".

"Precisamos conscientizar as pessoas para que no futuro não ocorra uma tragédia maior que venha provocar morte", finalizou Luiz Carlos.

 

Redação redeGN