RedeGN - Músico e pesquisador debate sobre a radiografia do forró e o legado do Rei do Baião

Músico e pesquisador debate sobre a radiografia do forró e o legado do Rei do Baião

 Para apresentar uma radiografia de Luiz Gonzaga e do Forró,  o doutor em música pela Unirio Climério de Oliveira é convidado do Cais do Sertão na faixa Conexão Cais. Autor de uma pesquisa de doutorado em que esmiúça o legado do Rei do Baião, Climério conversa com o pedagogo e educador do Cais Sandro Santos. A live será nesta quinta-feira (15), pelo Instagram @caisdosertao, a partir das 17h.

"Debater o legado social e musical de Luiz Gonzaga é sempre uma prioridade na nossa programação online. No mês de aniversário do museu, reforçamos a nossa admiração pelo artista e a importância de existir uma instituição cultural como o Cais situada no coração do Recife", comenta a coordenadora de Conteúdo do Cais, Clarice Andrade.

Mediado pelo pedagogo e educador do Cais Sandro Santos, o bate-papo vai trazer à tona o legado do forró na formação da música brasileira e a jornada sociocultural de Gonzagão. A live também foca a carreira acadêmica e o nascimento da Associação Respeita Januário, da qual Climério é membro-fundador.

PROGRAMAÇÃO MENSAL: O mês de abril contará com mais uma Conexão Cais. No dia 29, a faixa recebe o trio As Januárias, que reflete sobre o forró, o xaxado, o baião e a receptividade dos gêneros no mercado fonográfico. A conversa contará com mediação do músico-educador Diogo do Monte.

A celebração do aniversário do centro cultural contará também com um webinário, que promete refletir sobre o papel dos museus no século 21. Transmitida ao vivo e via canal do YouTube do museu, a roda de conversa contará com a participação do arquiteto responsável pelo projeto da sede do Cais, Marcelo Ferraz; e outros convidados: o professor titular do Programa de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Luiz Amorim e a doutoranda em Desenvolvimento Urbano/Arquitetura (UFPE) Lívia Nóbrega. Será no dia 20 de abril, às 20h, com mediação do vice-chefe do Departamento de Antropologia e Museologia (DAM), da UFPE, Hugo Menezes.

O Cais do Sertão segue fechado para visitação presencial, em respeito às medidas de controle ao novo coronavírus determinadas pelo Governo de Pernambuco.

Ascom