RedeGN - Pernambuco encerra 1º trimestre de 2021 com queda em todas as modalidades de roubo

Pernambuco encerra 1º trimestre de 2021 com queda em todas as modalidades de roubo

Pernambuco finalizou o primeiro trimestre de 2021 com redução dos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP), em todas as modalidades, que englobam roubos de veículos, celulares e carga, bem como investidas em ônibus.

O bom desempenho refere-se tanto ao mês de março como no acumulado do ano, que soma janeiro a março. Dentro desse cenário, a sequência de queda de CVP completa 43 meses consecutivos. No terceiro mês deste ano, a variação atingiu -21%. Foram 4.081 ocorrências em março de 2021 contra 5.166 em 2020, ou seja, menos 1.085 queixas.

O Recife obteve a maior redução de março, com -26,95%, seguido da Zona da Mata (-25,38%), Agreste (-24,46%), Região Metropolitana (-14,48%) e Sertão (-0,72%). A capital pernambucana atingiu o menor índice desde o início da série histórica, em 2005 (ver lista abaixo). Em março deste ano, contabilizaram-se 1.331 crimes, uma redução de 491 boletins de ocorrência em relação a 2020, quando houve 1.822 queixas. No acumulado do ano, os casos em Pernambuco recuaram 25,43%, com 12.944 crimes neste ano contra 17.358 queixas no mesmo período do ano passado.

"Pernambuco e o Recife tiveram o mês de março com menor incidência de ocorrências de CVP em uma década e meia de estatísticas criminais. Isso é o reflexo do trabalho das nossas forças de segurança, que estão constantemente empenhadas para que os números da violência continuem baixando mês a mês. Neste primeiro trimestre, os policiais apreenderam 1.600 armas e autuaram mais de 17 mil pessoas em flagrante delito, além de terem efetuado 1.178 prisões ao cumprir mandados judiciais. Nossos esforços estarão sempre voltados para preservar a ordem pública e o bem-estar social. Sabemos o quanto a violência assola os pernambucanos, por isso é preciso ampliar, a cada dia, o raio da prevenção e da repressão. É um trabalho complexo, difícil e, para ter efetividade, precisa do envolvimento de todas as esferas de poder e da sociedade", contextualizou o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

MENOS ROUBOS E MAIS APREENSÕES DE CELULARES - Nos primeiros três meses deste ano, o trabalho das forças de segurança pública de Pernambuco levou à apreensão de 2.962 telefones celulares que haviam sido subtraídos. Ao mesmo tempo, a incidência desses crimes diminuiu 8,5% no período, confrontando com o trimestre inicial de 2020. No total, os celulares roubados caíram de 7.475 para 6.840 nessa comparação. Somente em março, a redução foi de 2.263 para 2.126 (-6,1%).

QUEDA NO ROUBO DE VEÍCULOS ACIMA DE 20% - Tanto em março quanto no 1º trimestre, os roubos de veículos diminuíram com índices semelhantes no Estado. No mês, a diferença em relação a 2020 chegou a -24,51%: de 963 para 727 ocorrências. Entre janeiro e março, o percentual aproximou-se, com -23,05% na comparação com o intervalo correspondente do ano passado. Em dados absolutos, o recuo foi de 2.972 para 2.287.

ROUBOS DE CARGA SÃO MENOS DA METADE DO QUE EM 2020 - Do primeiro trimestre do ano passado para o deste ano, as ocorrências de cargas roubadas caíram de 184 para 85. Significa um recuo percentual de 53,8%. Verificando-se apenas março, esse índice alcançou -48%, pois os crimes desse tipo reportados às autoridades policiais do Estado passaram de 63 para 33 de um ano para o outro.

MÉDIA DIÁRIA DE ASSALTOS A ÔNIBUS CAI DE 3 PARA 1 - Durante o mês de março deste ano, Pernambuco registrou, em média, 1,29 roubos em coletivos a cada dia. Ao todo, foram 40 boletins de ocorrência registrados. Isso representa -59,6% em relação aos 99 casos de março do ano anterior, quando a média diária atingiu 3,19 assaltos dessa modalidade. Considerando o 1º trimestre, essa taxa caiu de 2,79 para 1,58. Em termos percentuais, houve queda de 44,09% (de 254 para 142).

APENAS UMA OCORRÊNCIA CONTRA BANCOS EM MARÇO - Um furto em uma agência bancária foi a única investida consumada contra instituição financeira em Pernambuco no terceiro mês deste ano. Representa, portanto, -67% em relação às três ocorrências dessa prática delituosa computadas em 2020. Já na soma do trimestre, a diferença foi de -60%, ao passar de cinco para dois - além do furto de março, registrou-se um roubo a agência em fevereiro.

 OPERAÇÕES PERMANENTES CONTRA CVP MANTÊM QUEDA DESDE 2020 - As três áreas da capital pernambucana que contam com operações fixas de enfrentamento aos roubos consolidaram, por mais um mês, o declínio nas ocorrências de CVP. Destaque para a Operação Agamenon Magalhães, com -32,3% casos no 1º trimestre (de 90 para 61) e -37,5% em março (de 24 para 15) no entorno da avenida que une as Zonas Norte e Sul. Com foco nos bairros do Centro, a Operação Cerne contribuiu para baixar de 787 para 630 o número de roubos dos três meses iniciais de 2021 (-19,9%). Por sua vez, março terminou com -31,1% ocorrências de roubo nessa área, tendo saído de 222 para 153 queixas. Por fim, a Operação Boa Viagem impactou a redução de 13,2% no trimestre (de 514 para 446 CVPs) e de 21,2% em março (de 165 para 130) no bairro da Zona Sul do Recife.

MARÇOS DA SÉRIE HISTÓRICA DE CVPs NO RECIFE

2005 – 2.529

2006 - 2.386

2007 - 3.171

2008 - 2.649

2009 - 2.616

2010 - 2.095

2011 - 2.119

2012 - 2.049

2013 - 1.677

2014 - 2.128

2015 - 2.690

2016 - 3.424

2017 - 3.808

2018 - 3.853

2019 - 2.917

2020 - 1.822

2021 - 1.331

Ascom