RedeGN - Artigo: Juazeiro não aprende com erros na pandemia

Artigo: Juazeiro não aprende com erros na pandemia

É notório e perceptível o crescimento dos casos de covid-19 aqui na região após o afrouxamento das medidas sanitárias neste segundo ano de pandemia, volta e meia ficamos sabendo de alguma pessoa próxima ao nosso ciclo que veio a falecer por causa da doença, esse é um sinal de alerta mais uma vez, estamos com a média de mortes acima de 1.000 pessoas por dia no Brasil e hoje com uma capacidade de leitos beirando aos 80% e aumentando na região.

Existem vários fatores sociais, econômicos e culturais do nosso povo para que esses casos voltem aos valores do ano passado e com um agravante que é a nova variante que circula hoje no estado da Bahia, o que se ver são ônibus superlotados, bares desrespeitando a lotação máxima, lotéricas sem distanciamento, supermercados com lotações inadequados, pequenos estabelecimentos de bairros com zero medidas de prevenção, o que estamos fazendo de errado mais uma vez? TUDO.

A primeira vista digo que é educação do próprio juazerense isso é crucial, mas por outro lado quando se tem pessoas descumprindo as medidas tem o poder público local que prevarica das suas funções sanitárias, não fiscaliza, não atua nos estabelecimentos, a ausência de campanha de conscientização da população em espaços públicos.

Quando se tomam medias drásticas a classe que mais reclama é o empresariado da cidade sem contar com o pessoal de bares e restaurantes, mas infelizmente grande parte deles NÃO cumprem as recomendações basta ir em supermercado, bares e locais como orla e comércio  a prefeitura não fiscaliza, o empresário não cumpre as medidas e o povo não colabora então temos a fórmula perfeita para Lockdowns, restrição de horários e tudo mais, principalmente que as vacinas estão demorando para chegar para ampla população.

Neste momento é crucial que os poderes públicos aumentem o poder de vigilância, façam testagens em massa por áreas com maior intensidade do vírus, isolamento de bairros, fiscalização de transportes públicos, alternativos e particulares, onde tiver aglomeração usar a força se necessário, autuar com multas e percas de alvarás dos estabelecimentos que descumprem o básico das regras sanitárias,  aos empresários cumprir rigorosamente as medidas pois quando tiver Lockdowns vão culpar governador.  Artistas e bares não são atividades essenciais mas se querem funcionar diminua cadeiras pela metade, distanciem, limpeza constante de mesas e cadeiras durante a permanência e da troca dos clientes e o mais importante não estimular aglomerações.

Marcos Vinicius Borges - Médico Veterinário e apaixonado por Juazeiro.