RedeGN - Traficante que usava oficina de pinturas como fachada é preso com drogas e uma pistola Glock em operação conjunta do Peto 76 e Peto 75

Traficante que usava oficina de pinturas como fachada é preso com drogas e uma pistola Glock em operação conjunta do Peto 76 e Peto 75

Sábado (09), às 11 horas, após a guarnição do PETO 76 e PETO 75 ter informações de um ponto de drogas na área da 75ª CIPM, as viaturas do diligenciaram até o local informado, uma Oficina de Pintura e Funilaria na rua Dr. Loureiro, bairro João XXIII.

Ao chegarem ao local uma pessoa de camiseta vermelha correu e se escondeu por trás dos carros que os policiais fizeram a incursão, quando foram surpreendidos por uma pessoa de 25 anos, que saiu rapidamente por trás de um veículo a meio metro dos policiais e tentou sacar uma pistola da cintura.

Devido a proximidade do meliante, foi necessário fazer uso necessário da força conforme o Art. 234. O emprego de força só é permitido quando indispensável, no caso de desobediência, resistência ou tentativa de fuga.

Se houver resistência da parte de terceiros, poderão ser usados os meios necessários para contê-lo ou para defesa do executor e auxiliares seus, inclusive a prisão do ofensor).

O policial usando das técnicas conseguiu tomar a arma do agressor e conter a ameaça, sendo uma pistola marca Glock, modelo G-25, oxidada, cal. 380, com 01 carregador e 02 munições, número de série scu059, que na revista pessoal foi encontrado um saco plástico transparente contendo 10 petecas de cocaína.

Foram feitas buscas no interior da oficina sendo encontrado escondido entre os bancos dos veículos que estavam em serviço mais um saco plástico transparente contendo 15 petecas de cocaína, 01 invólucro plástico de cor verde contendo uma pedra maior de cocaína, 01 balança de precisão, além de recortes plásticos e tesoura para o embalo da droga.

Questionado sobre a droga o imputado disse que revendia a droga naquele local, usando o comércio de fachada para legalizar o dinheiro do tráfico, que a todo momento pedia para entrar em contato com seus parentes, para ligar para seu “tio”.

No local ainda foram encontrados mais dois funcionários da Oficina de pintura, que informaram que não sabiam da vida de traficante de drogas que seu patrão tinha, sendo conduzidos apenas como testemunhas.

Devido o acusado ter resistido a prisão, as Guarnições se deslocaram até o Hospital Regional de Juazeiro, sendo feito Raio X e Tomografia, não sendo constatada nenhuma lesão no mesmo, conforme o parecer do médico cirurgião plantonista.

Diante das provas e dos fatos, todo material apreendido e pessoas envolvidas foram conduzidas a delegacia de polícia da 17 COORPIN, para serem adotadas as medidas judiciais cabíveis.

Da redação