RedeGN - Victor Chaves quebra o silêncio três anos após as denúncias de agressões à ex-esposa: “Quase tirei minha vida”

Victor Chaves quebra o silêncio três anos após as denúncias de agressões à ex-esposa: “Quase tirei minha vida”

Após três anos desde quando foi acusado de agressão à ex-esposa Poliana Bagatini, que estava grávida na época, o cantor Victor Chavez quebrou o silencio e falou sobre o caso.

Em entrevista à “Folha de São de Paulo”, publicada nesta terça-feira (23), o cantor sertanejo deu fortes declarações, e revelou uma depressão que quase o fez tirar a vida após o episódio. “Ficar calado três anos, foi duro. Meu ímpeto era de me defender”.

Na entrevista ele reafirmou que foi interpretado de forma errônea, que não teve uma atitude de agressão, mas de contenção. “Utilizaram os fatos com leituras sensacionalistas. Se não fosse para a mídia e não chegasse aos rigores que chegaram, teria sido um dia de caos que resultaria em separação. Como se trata da mãe dos meus filhos, só posso falar que houve descontrole emocional grande. Não estava na discussão entre Poliana, minha mãe e minha irmã no andar de baixo. Ouvi coisas quebrando. Estava com minha filha no colo, passei ela para a cozinheira e desci“.

Diante do escândalo, Victor disse que viveu um momento extremamente difícil na sua carreira: “Vivi uma dor tão grande que só dormia e tocava. O que me salvou foi a arte. Durante uns sete meses, tomava banho de três em três dias. Eu me enfiei nos shows, mesmo envergonhado. Era música atrás de música para eu não pensar. Meus músicos me viam acabado, chorando“.

O cantor ainda revelou que esse momento deu um novo sentido a carreira e que já tem um álbum solo finalizado.  “Precisei desse tempo de reclusão pra me dedicar a meus filhos, blindá-los e me reformular para um trabalho próprio. Em maio de 2019, chamei uns músicos para fazer um som no meu apartamento. Comecei a compor canções que refletiam essa nova fase. Em dezembro, resolvi gravar um disco, ‘Luz do Sol’, na sala onde fazíamos os ensaios, como nos anos 1950. Ainda espero o melhor momento para lançar” revelou.

Folha Press