RedeGN - EUA usa estratégia de guerra para reter respiradores comprados pela Bahia, avalia pesquisador do Senai

EUA usa estratégia de guerra para reter respiradores comprados pela Bahia, avalia pesquisador do Senai

Em entrevista à Rádio Metrópole de Salvador, nesta manhã (3) o médico infectologista e pesquisador-chefe do Instituto de Tecnologia em Saúde do Senai-Cimatec, Roberto Badaró, que vê a adoção de uma estratégia de guerra, por parte dos EUA, ao reter respiradores comprados pela Bahia para o Consórcio Nordeste.

Após retenção dos equipamentos chineses em Miami e a suspeita a suspeita de que os Estados Unidos pagaram mais para ficar com os produtos, de acordo com matéria publicada pela Folha, a preocupação com uma possível falta de equipamentos para o combate à pandemia aumentou:

“Estamos preocupados com isso. Eu tenho conversado diariamente com Bruno Dauster, que é da Casa Civil, ele está em confinamento em casa, porque é do grupo de risco e pode trabalhar home office. Ele disse que faz o pedido e paga e os caras não entregam. Isso é problema. O americano, com o temperamento de querer controlar o resto do mundo, faz isso mesmo. A gente comprou e parou em Miami. Então está fazendo uma estratégia de guerra. ‘Entrou no meu país, eu fico’. Então a gente tem que buscar estratégias de fazer o hub em outro local, não lá. Porque essa é uma guerra. Eles estão precisando e nós também. Essa é a dificuldade que vejo nesse tipo de situação”, avaliou na entrevista à Rádio Metrópole.
 

Da redação redeGN / com informações do Metro 1/ Foto divulgação